Atacarejo tem preços até 37% mais baratos

Comprar mais barato é das melhores sensações que um consumidor pode ter. Quando a economia ocorre na aquisição de itens de alimentação presentes na lista de compras da maior parte dos lares, a alegria aumenta. Afinal, a conta do supermercado está entre as despesas inevitáveis para as famílias.

Foram pesquisados preços de 30 itens comuns de marcas líderes.

O resultado foi que a diferença de valores entre a compra mais cara (no varejo) e a mais barata (no atacado) atingiu R$ 47,60. 

“Frequento o supermercado mais próximo, porque é mais prático”, diz a moradora de São Bernardo, Carolina Fidelis de Souza, 27 anos. “Para famílias pequenas não vale a pena complicar. Melhor comprar onde é mais conveniente”, completa.

Embora não estejam na porta de casa, atacados sempre oferecem preços melhores, mesmo quando a aquisição é feita em quantidades pequenas, no varejo. Mas neste caso, o consumidor desembolsa um pouco mais, ainda assim, menos do que no varejo tradicional. 

Para usufruir da economia máxima possível, o consumidor precisa encarar as grandes quantidades do atacado. Por exemplo, para aproveitar R$ 0,20 de economia por pacote da bolacha wafer é preciso comprar caixa com 22 unidades. No caso da mistura para bolo, a diferença entre atacado e varejo no mesmo local é de R$ 0,40 por item. A caixa vem com 12 bolos (todos do mesmo sabor).

Mas, é preciso ter critério para evitar desperdício. No caso da manteiga (200 g) é economia entre atacado e varejo chega a R$ 0,47 por unidade – o problema é que é preciso levar 30 barras para economizar. Considerando que o produto é perecível e depende de refrigeração, o consumidor tem de avaliar a viabilidade desta opção. Mas, há situações em que os supermercados surpreendem positivamente. 

O custo dos alimentos vem pesando cada vez mais no orçamento das famílias. Entre maio de 2012 e maio deste ano, o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) atingiu, em média, 6,5%.

Fonte: Diário do Grande ABC

 


Tamanho da fonte: A- A+